INFORBUSINESS - Compartilhando o seu desenvolvimento profissional

Exportações no ano dobram com resultados de maio

As exportações praticamente dobraram com a soma do realizado em maio. Até abril, a cidade vinha com um índice positivo de 11%, agora Piracicaba tem alta de 20,3% no comparativo com o mesmo período do ano passado. Os números são do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) Piracicaba. Homero Scarso, gerente da regional, acredita na inversão do comportamento da balança comercial até o fim deste ano.

A entidade registrou a venda de US$ 855,4 milhões até maio deste ano. Já as importações somaram US$ 1,15 bilhão, representando um crescimento de 38,8% frente ao mesmo período do ano passado. Essa ‘chave’ virou no ano passado, quando a cidade começou a vender menos para outros países e comprar mais. “Este crescente de exportações é muito importante para cidade quanto à manutenção e possibilidade de novas empresas. Neste cenário nacional complexo, Piracicaba está num momento importante e diferente do ano passado.

Tudo indica que sim (iremos ter mais exportações que importações até o fim do ano) porque sabemos que tem uma grande montadora fazendo investimento alto para atender a demanda por motores e câmbios. O dólar está contribuindo para o resultado também”, explica Scarso. Os principais produtos exportados foram máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (65%), açúcares e produtos de confeitaria (7,8%) e produtos químicos orgânicos (6,7%). As importações verificadas pelo Ciesp se concentraram também em máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (43,2%), veículos automóveis, tratores (17%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (12,4%). Segundo o dirigente da entidade, a cidade tem importado componentes para montar veículos automotores e agrícolas que são vendidos lá fora e também abastecem o mercado interno. Apareceram forte neste ano na lista de compradores da região de Piracicaba dois países da América Latina. Paraguai e Chile incrementaram suas compras fortemente de US$ 20,9 milhões no ano passado para US$ 45,7 milhões nestes primeiros cinco meses de 2021.

Fonte: Jornal de Piracicaba

Voltar