INFORBUSINESS - Compartilhando o seu desenvolvimento profissional

Inadimplência do consumidor cai 0,1%, em Piracicaba

Inadimplência do consumidor cai 0,1%, em Piracicaba
Dados são da Boa Vista SCPC
 
Segundo a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), o Indicador de Registros de Inadimplentes caiu 0,1%, em Piracicaba, na comparação mensal de agosto contra julho. No resultado acumulado, a inadimplência avançou 5,7%, enquanto na variação interanual (mesmo mês do ano anterior), o indicador elevou 4,2%.
 
“Mais uma vez, vemos que a inadimplência na cidade vem seguindo em tendência de equilíbrio. Do mês passado para cá, o índice apresentou uma pequena queda de 0,1%. Nos outros comparativos, a inadimplência demonstrou avanço, mas os crescimentos não foram sensíveis. No acumulado do ano, ficou nos 5,7%, e no comparativo entre agosto deste ano com o do ano passado, ficou nos 4,2%”, observa Paulo Roberto Checoli, presidente da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba).
 
Recuperação de crédito
 
Na mesma toada, a recuperação de crédito do consumidor, também, apresentou números animadores. No resultado acumulado, a recuperação avançou em 1,0%, na variação interanual (mesmo mês do ano anterior), o indicador avançou em dois dígitos: 11,1%, e na comparação entre agosto e julho, o resultado foi de 0,8%.
 
“A recuperação de crédito, no período, obteve bons resultados. Uma observação importante é a de que no acompanhamento mês a mês, o índice avançou em quase 1% (0,8%), sobrepondo-se ao recuo significativo de 15,5% observado na comparação passada entre julho e junho”, comenta Checoli.
 
Para o presidente da entidade, os resultados do mês podem estar atrelados a uma melhora no ambiente de consumo. “Aos poucos, a cidade está recuperando seus postos de trabalho. O saldo mais recente do Caged apontou números positivos do emprego, no município. A inflação em queda já registra valores abaixo do centro da meta do governo. Esses dois ingredientes somados contribuem para uma melhora no orçamento das famílias, que podem, então, buscar a negociação de suas dívidas e sua recuperação creditícia. Ou mesmo evitar o endividamento”.
 
Voltar